tentativa de praticar a escrita a partir da criação de personagens antropomorfizados (ou não) que precisam encarar o tédio do dia-a-dia

29 de nov de 2007

Girafa Acadêmica e Camelo Israelense Terrorista como colegas de faculdade

Muita gente sabe da birra histórica entre a Girafa Acadêmica e o Elefante Analfabeto. Mas muito pouca gente conhece o fato de que outro personagem chave desta luta clássica, o Camelo Israelense Terrorista, também já se envolveu em algum ponto de sua vida acadêmica com a Girafa.

O Elefante e a Girafa foram colegas na pré-escola. Já é fato notório o que aconteceu na cena no parquinho.

Já a Girafa Acadêmica e o Camelo Israelense Terrorista foram colegas quando estavam na universidade, ainda durante a graduação. Ambos tiveram aulas na mesma academia, e inclusive na mesma sala de aula. Eram do mesmo ano, embora não tivessem exatamente a mesma idade.

A Girafa e o Camelo se formaram na mesma turma, e seus nomes encontram-se próximos um ao outro no quadro de formatura (na distância suficiente entre nomes com C e nomes com G).

Em aula, os dois eram considerados os mais espertos da turma. Entretanto, ambos possuíam perfis acadêmicos diferenciados. A Girafa era mais voltada para o estudo e a pesquisa, com o objetivo de tirar boas notas e obter um bom desempenho (ou seja, estimular o espírito competitivo na academia). Já o Camelo era um notório preguiçoso. Embora fosse bastante inteligente para articular estratégias interessantíssimas, ele não tinha muita paciência para estudar o suficiente para as provas de matérias de que não gostasse muito, e, como conseqüência, ele só tirava notas altas em provas cujos assuntos lhe interessavam.

Formas diferentes de encarar os estudos também levaram a uma diferenciação no caminho que ambos tomaram em uma etapa posterior em suas vidas. Hoje, sabe-se que o Camelo é um dos fortes aliados da IEA – de fato, dada à notória astúcia do Camelo, a ele atribui-se o papel de ser a cabeça pensante do grupo, cabendo ao Elefante apenas ganhar a fama pela histórica birra. Já a Girafa, como todo mundo sabe, é a líder de seu próprio grupo (o da Girafa Acadêmica), e até hoje milita em prol do espírito acadêmico.

Para a Girafa, só se chega ao conhecimento mediante um esforço intelectual, mínimo que seja. Não se tem como apreender as coisas sem que se faça um processo de conhecimento em ciclo completo. A Girafa também criou maneiras de medir esses esforços – conhecidas como avaliações nas instituições de ensino. A justificativa é simples: não haveria como estimular o espírito de competição acadêmica não houvesse parâmetros mínimos para auferir o desempenho dos alunos.

Nenhum comentário:

Histórias passadas

Outras informações

  • - Nas cinco primeiras histórias, a ênfase foi na criação e descrição de personagens. A ênfase atual é nos diálogos, e/ou na elaboração de um final para os textos.
  • - As sete primeiras histórias postadas fazem parte de um grupo temático arbitrariamente criado e intitulado "Amores impossíveis".